Notícias

Confira as últimas publicações da Ateliê Editorial

Confira as últimas publicações da Ateliê Editorial. As obras estão no site da editora (www.atelie.com.br) e nas livrarias. O objetivo da editora era – e ainda é – discutir a importância do livro como objeto que, para além de belo, seja um projeto estético que possa servir da melhor maneira às palavras do autor. Por isso, todos os detalhes são levados em conta: o melhor papel, um projeto gráfico agradável, tipo de letra adequado a cada título, belas ilustrações, imagens tratadas com delicadeza, textos preparados e revisados com atenção.

A Ateliê Editorial dá uma importante contribuição ao público brasileiro com a edição de A Bíblia do Proletariado, do refinado historiador portenho Horácio Tarcus. Este professor e pesquisador, com uma longa e prolífica atuação na pesquisa da história intelectual do socialismo e do marxismo, particularmente no que se refere às articulações entre as ideias das esquerdas europeia e latino-americana, também foi um dos artífices da constituição de um dos mais importantes arquivos e centros de pesquisa da história da esquerda latino-americana, o Centro de Documentación e Investigación de la Cultura de Izquierdas (CeDInCI). A Bíblia do Proletariado é um eloquente testemunho desta instigante trajetória.

Essa publicação de 1917 serviu de texto de base para a edição que agora se apresenta ao leitor, na Coleção Clássicos Ateliê, pois vem a ser o testemunho da última vontade explícita do autor, portanto dotada de autenticidade, legitimidade e genuinidade. A edição Ateliê contém o texto fidedigno do romance, apurado segundo o método rigoroso da Ecdótica, com atualização ortográfica e notas, em favor, sobretudo, do leitor em formação. Enriquecem a edição ilustrações do artista Zepa Ferrer, que dialogam com o texto. 

O poema Un coup de dés (Um Lance de Dados), de Mallarmé, teve sua primeira publicação na revista Cosmopolis, em 1897. O poeta viria a morrer no ano seguinte, e o poema só veio a ter edição em livro postumamente, em 1914. Ao longo de todo o século XX, e agora seguindo pelo século XXI adentro, o Um Lance de Dados exerceu influência imensurável não apenas no campo da poesia, talvez de modo especial nas experimentações visuais, mas também no âmbito da própria crítica, para a qual constitui um desafio permanente. 

Os Diabos de Ourém é um romance surpreendentemente atual, no qual a crise retratada no espaço narrativo se projeta na realidade extraficcional de recepção da obra. A primeira página do romance anuncia “o ano da peste”: 1856, quando uma epidemia de cólera-morbus assola a antiga província do Grão-Pará. Enquanto a histeria coletiva toma conta da população, a igreja e os políticos locais utilizam as ciências ocultas para “curar” o seu rebanho. Maria Luiza Tucci Carneiro não escreve para um leitor abstrato, atemporal, mas para um cúmplice dos nossos tempos marcados pelo medo do desconhecido.

João Anzanello Carrascoza, ficcionista e estudioso da publicidade, já demonstrou em suas obras como o texto publicitário mimetiza recursos linguísticos e procedimentos usuais da literatura na formação de seu cânone. Em A Lírica do Consumo, ele subverte este ponto de partida, ao investigar aspectos do consumo mobilizados na comunicação publicitária por meio de obras literárias de autores nacionais e estrangeiros. O livro reúne onze ensaios de alta voltagem analítica e absoluta originalidade, além do texto integral de sua “Suíte Acadêmica”, artigo científico que causou polêmica no campo pela escrita em prosa poética.

Dispõe enfim o leitor da tradução integral em versos do poema Orlando Furioso, de Ludovico Ariosto, feita por Pedro Garcez Ghirardi, publicada em dois tomos na Coleção Clássicos Comentados da Ateliê Editorial. Pedro Garcez Ghirardi ao todo traduziu poeticamente nada menos do que 38.576 versos, distribuídos em 4.822 oitavas-rimas por 46 cantos. 

A Ateliê Editorial realiza o lançamento do livro Ubiratan Machado, Bibliófilo e Leitor Exemplar, organizado por Plinio Martins Filho e Alexei Bueno. A obra é uma celebração ao historiador literário e pesquisador bibliográfico, contando com os textos em sua homenagem de Alexei Bueno, Carla Fernanda Fontana, Carlos Gustavo Araújo do Carmo, Cláudio Giordano, Felipe Rissato, Gabriel Kwak, Ivo Korytowski, José Pastore, Marisa Midori Deaecto e Plinio Martins Filho. O projeto gráfico é da Casa Rex.

Publicado pela primeira vez no Brasil, Teoria Social Contemporânea de Patrick Baert e Filipe Carreira da Silva investiga os desenvolvimentos de ponta da teoria social atual. A edição oferece uma pesquisa acessível e provocativa dos desdobramentos da teoria social, cobrindo uma série de figuras-chave e escolas clássicas de pensamento. Os autores preenchem a lacuna entre filosofia e teoria social, localizando as visões teóricas de nomes como Michel Foucault, Anthony Giddens e Jürgen Habermas dentro de tradições históricas mais amplas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *