Notícias

Leia cinco trechos da obra ‘Isolados em um Território em Guerra na América do Sul’, de Koichi Kishimoto

Conheça a nova publicação da Ateliê Editorial, Isolados em um Território em Guerra na América do Sul, de Koichi Kishimoto. A obra tem a tradução de Seisiro Hasizume, notas e caderno fotográfico de Alexandre Kishimoto, capa de Camyle Cosentino e imagem de Zen Garden.

O livro relata as histórias de vida da imigração japonesa no Brasil, sendo um retrato memorial da repressão dos imigrantes japoneses e seus descendentes durante a Segunda Guerra Mundial. O autor não se limita a descrever as experiências pessoais, que também fora perseguido e preso na época. Em seu texto de apresentação de 1947, ano da primeira publicação do livro, Kishimoto descreveu:

“Após a eclosão da Segunda Guerra Mundial, conflito que esperamos não volte a se registrar na história universal, o Brasil rompeu relações diplomáticas com o Japão. As consequências imediatas foram uma série de pressões contra os imigrantes: prisão para quem simplesmente conversava em japonês nas ruas, censura e apreensão de livros japoneses e até de cartas que continham qualquer palavra escrita em japonês; enfim, para o imigrante japonês era extremamente perigoso sair de casa. Não obstante, continuei escrevendo o livro, correndo o risco de ser preso, como um desesperado grito contra as intermináveis restrições impostas pelas autoridades”.

Leia a seguir cinco trechos do livro:

Koichi Kishimoto nasceu em 1898 na cidade de Shibata, província de Nigata, Japão. Chegou ao Brasil no dia 13 de setembro de 1922, com a esposa e uma filha, radicando-se no noroeste do estado de São Paulo, nas proximidades de Promissão. De agricultor, passou a lecionar japonês. Foi para a capital para estudar português. Candidatou-se a uma vaga de professor da escola primária, sendo aprovado. Em 1931, inaugurou o Gyosei Gakuen (Liceu Aurora), que tinha licença para funcionar como escola regular. Naturalizou-se brasileiro. Lançou a revista Koya, em japonês. Além do livro Nambei no senya ni koritsu shite (Isolados em um Território em Guerra na América do Sul), publicou outros 9 livros em japonês, tendo como tema o Japão ou viagens pelo Brasil e América do Sul. Recebeu comendas de Honra ao Mérito do governo japonês, do Instituto Histórico e Geográfico e da Sociedade Geográfica Brasileira. Após seu falecimento em 1977, foi homenageado com o nome de uma rua na Vila Morais, homologado pela Prefeitura do município de São Paulo. No Japão, houve a publicação de um livro sobre sua vida e da versão atualizada do Nambei no senya ni koritsu shite.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *