Notícias

Nesta quinta-feira, Ateliê Editorial e Cepe Editora realizam, na Livraria da Tarde, o lançamento da obra, em dois volumes, ‘Crítica Reunida sobre Literatura Brasileira e Inéditos em Livros’, de José Paulo Paes

A Ateliê Editorial e Cepe Editora realizam, na Livraria da Tarde, o lançamento da obra, em dois volumes, Crítica Reunida sobre Literatura Brasileira e Inéditos em Livros, de José Paulo Paes. A coletânea foi organizada por Fernando Paixão, poeta e professor de literatura no Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo, e Ieda Lebensztayn, crítica literária, pesquisadora e ensaísta. O evento, que contará com um bate-papo com os organizadores com a participação da professora e pesquisadora Eliane Robert Moraes, acontecerá na quinta-feira, 14 de setembro, a partir das 19h. A Livraria da Tarde fica localizada na rua Cônego Eugênio Leite, 956, em Pinheiros, São Paulo.

Estes dois volumes reúnem toda a produção crítica de Paes em torno a temas e escritores da literatura brasileira, publicada por ele em diversos livros ao longo de mais de quatro décadas. Complementa ainda uma seção de inéditos em livro, compilados do seu arquivo pessoal e de hemerotecas.

A reunião deste conjunto é importante porque revela em sua inteireza um pensador livre, maduro e distante dos liames acadêmicos. Interessado por temas e escritores diversos – de gregos a baianos, como costumava dizer –, suas análises contemplam a urdidura do texto em correlação estreita com o contexto e a biografia do autor. Páginas de um crítico refinado e original.

Destacam-se os capítulos: As Quatro Vidas de Augusto dos Anjos; A Armadilha de Narciso [Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis]; Uma Voz da Babilônia (Sobre Meu Querido Assassino, de Dalton Trevisan); Cinco Livros do Modernismo Brasileiro [Pauliceia Desvairada, de Mário de Andrade; Pau-Brasil e Memórias Sentimentais de João Miramar, de Oswald de Andrade; Macunaíma, de Mário de Andrade; Brás, Bexiga e Barra Funda, de Alcântara Machado]; Um Sequestro do Divino (Sobre os Contos de Murilo Rubião), no primeiro volume. Já o segundo volume, conta com os textos: A Circunstância Pré-Modernista; Uma Semântica da Paisagem; A Morte Carnavalizada (Sobre A Morte e a Morte de Quincas Berro d’Água); Entre a Nudez e o Mito (Sobre As Horas Nuas de Lygia Fagundes Telles); Revisitação de Jorge de Lima (Sobre Os Melhores Poemas de Jorge de Lima); As Lições da Pedra (Sobre Do Silêncio da Pedra de Donizete Galvão); Uma Contista do Interior (Contos de Cidadezinha, de Ruth Guimarães); e Amor/Humor por Via Postal [Sobre Cartas de Amor a Heloísa, de Graciliano Ramos].

Poeta, crítico literário, tradutor e editor, José Paulo Paes foi um intelectual de primeira linha no Brasil do século XX. Sua formação começou pelos estudos de química, mas logo se voltou para o campo das letras, em que se tornou autodidata e criador incansável. Felizmente, teve reconhecimento em vida pelo seu trabalho e até se tornou figura pública. Faleceu em 1998.

ORGANIZADORES

Fernando Paixão nasceu em Portugal e vive em São Paulo desde a infância. De início teve uma longa carreira como editor profissional. Em 2009, ingressou na docência acadêmica no Instituto de Estudos Brasileiros, da USP. Estreou na poesia em 1980 e lançou vários livros, com destaque para Poeira (2001, Prêmio APCA) e Porcelana Invisível (2015). Publicou pela Ateliê Editorial: Narciso em Sacrifício – A Poética de Mário de Sá-Carneiro (ensaio), Palavra e Rosto, A Parte da Tarde Manual do Estilo Desconfiado.

Ieda Lebensztayn é crítica literária, pesquisadora e ensaísta. Doutora em Literatura Brasileira pela USP. Fez pós-doutorado no Instituto de Estudos Brasileiros e na Biblioteca Brasiliana Mindlin. Autora de Graciliano Ramos e a Novidade: o Astrônomo do Inferno e os Meninos Impossíveis (Hedra, 2010). Organizou, com Thiago Mio Salla, os livros Cangaços – Graciliano Ramos (Record, 2014), Conversas – Graciliano Ramos (Record, 2014) e O Antimodernista: Graciliano Ramos e 1922 (Record, 2022). Com Hélio de Seixas Guimarães, os dois volumes de Escritor por Escritor: Machado de Assis Segundo Seus Pares, 1908-1939; 1939-2008 (Imesp, 2019). Com Hélio e Luciana Schoeps, Primeiras Edições de Machado de Assis na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (Publicações BBM, 2022). E, com Fernando Paixão, os dois volumes de José Paulo Paes: Crítica Reunida sobre Literatura Brasileira & Inéditos em Livros (Ateliê/Cepe, 2023).

TEXTOS DOS ORGANIZADORES

FERNANDO PAIXÃO: “Aliadas às outras qualidades do poeta-crítico, temos agora a oportunidade de observar com amplitude a excelência da sua reflexão sobre a literatura brasileira. Deparamos então com uma visão muito bem informada e formada, sem se fechar num gosto determinado e exclusivista. […] Se de um lado, valoriza a erudição e revisita autores da tradição, de outro sabe reconhecer a singularidade de escritores que fogem ao mainstream e se arriscam na busca de uma linguagem própria.”

IEDA LEBENSZTAYN: “Paes apreende os dilemas da arte social de Drummond: ao passar o real pelo crivo de sua subjetividade, o poeta o torna abstrato, sobressaindo uma metafísica angustiada, que se contrapõe à limitação do mundo objetivo […]. Destaque-se a análise da ‘forma humorística’ drummondiana, voltada contra a realidade capitalista ou contra o próprio comportamento pessoal.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *